WhatsApp%2520Image%25202021-03-08%2520at%252018_edited.jpg

Pedro Gameiro é especialista e Mestre em Nutrição e Membro Efectivo Ordem dos Nutricionistas (3665N). É também Licenciado em Ciências do Desporto e Personal Trainer, Cédula PROCAFD Nº 24024. "Reeducação alimentar e pessoas mais ativas são o melhor fármaco para uma saúde sustentável. Mudança de hábitos em qualquer ponto do globo."

Cafeína na gravidez? Que riscos?

Para além do conhecido efeito da cafeina enquanto estimulante, existe também uma componente diurética. Por ser um estimulante, é espectável que a pressão arterial e a frequência cardíaca aumentem.


Mas agora que está grávida fará sentido continuar a ingerir a cafeina que consumia outrora?


Deve-se ter em atenção, que a cafeína durante a gravidez poderá causar alterações no padrão do sono do seu bebé, bem como a alteração do crescimento fetal. Também, para além dos efeitos supracitados, o alto consumo de cafeína parece estar associada com o atraso da conceção.


E atenção! Desengane-se se pensa que apenas o café tem cafeina. Para além deste, os chás, refrigerantes ou chocolates são bons exemplos de fontes modestas de cafeina.


A reter (quantidades aproximadas):

Expresso: 47 - 64 mg

Coca-cola diet: 124 mg

Chá verde: 40 mg

Chá preto: 45 mg


O aconselhamento mais sensato será a redução da ingestão de cafeina antes da conceção e durante a gravidez. De qualquer forma, se falarmos em quantidades diárias, as mulheres grávidas devem limitar a sua ingestão para menos de 200mg por dia.




Posts recentes

Ver tudo